obs:

O título desse blog é infeliz, mas só reparei depois. "Anti-país dos petralhas" dá impressão que sou contra os "petralhas" (como Reinaldo Azevedo se refere ao PT). Não, eu quis dizer que sou contra o Reinaldo e seu livro "O país dos petralhas".
É tão infeliz quanto uma pessoa de direita ser contra Marx e botar "Anti-O capital" e as pessoas acharem que a pessoa é anti-capitalista...
Bem, temos de conviver com os nossos erros né?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

3 casos de politicagem do PSDB + 1 reflexão sobre PT

Aqui tem 3 casos que podem dizer muito sobre o PSDB, ou envolve esse partido. São exemplos de como funciona a politicagem: a primeira vista parece uma coisa, mas no fundo é outra.

Eu ia falar da crise da água também, mas nisso vi que o tema tem relação com o Código florestal e fiz reflexão sobre o PT.

1) Em 2009 abandonaram a CPI alegando que o governo impedia investigação, mas tinham recebido propina para que a CPI esvaziasse


confira http://www1.folha.uol.com.br/fsp/especial/191082-delator-diz-que-pagou-a-senador-tucano-para-esvaziar-cpi-em-2009.shtml

A CPI foi esvaziada e eles receberam dinheiro para que isso acontecesse. Mas muito espertos, eles saíram como se a culpa pelo esvaziamento da CPI tivesse sido do governo.



Nível Politicagem: ok, não foi só o PSDB, o próprio governo do PT estava envolvido no esvaziamento, mas em termos de imagem, o governo saiu com a imagem arranhada, e eles como heróis.


2) Lembra o Trem-bala que ia ser para a Copa 2014? Serra atrasou de propósito!


confira http://spressosp.com.br/2014/12/06/jeito-tucano-de-governar-se-nao-gostar-projeto-sabote/

ou http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,serra-diz-que-merece-medalha-por-ter-atrasado-trem-bala,1603244


Serra explica como moveu os palitos para atrasar o trem-bala, como convencer um amigo do BNDES para fazer um estudo demorado.

Não saiu o trem-bala e todo mundo botou a culpa na no governo Federal (Dilma).Tipo. esse comentário abaixo do ExpressoSP não sei se é de gente que entendeu ou não entendeu a questão


Nível politicagem: vê-se que os partidos têm amigos em diversos órgãos, funcionários que embora em tese trabalhem para qualquer governo, trabalham mais (ou menos) para amigos

3) Fosso com piranhas e jacarés em volta do Congresso

Olhem isso: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc07089808.htm

Atualmente estão ocorrendo coisas assim http://www.folhapolitica.org/2014/12/senhora-de-79-anos-leva-gravata-ao-ser.html

Mas se agora o Aécio convoca manifestantes para irem ao Congresso, na época do governo do PSDB, tinha a ideia de cercar o Congresso  com fosso de piranhas e jacarés!

NOTA: quanto ao tema "Lei do calote": para mim é apenas uma mexida no orçamento que não tem nada demais. Acho que pessoas ingênuas demais pensavam seriamente que daria para usar a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) como motivo para impeachment, pois poxa, se desse para fazer impeachment a partir de contas, quantos políticos não teriam sido impedidos, não é mesmo? Como outro reflexo da politicagem , aposto que muitos políticos que estão reclamando dessa mexida que o PT tá fazendo, na verdade eles mesmos estão se sentindo aliviados (pois LRF abrande tudo, Estados, municípios) e eles mesmos fariam a mesma mexida. Além do mais, orçamento público tem outros furos como por exemplo a possibilidade de decretar "Emergência/Calamidade", como na recente crise da água em São Paulo. Quando se decreta "Emergência/Calamidade", entra em vigor outra legislação que permite obras sem licitação! A meu ver, na crise da água o governo de São Paulo (PSDB) foi irresponsável em não ter feito as obras necessárias a tempo e quando a situação ficou crítica decretou emergência e fez as obras (como bombeamento do volume morto) sem licitação.  Bem, enfim, não é porque a Lei se chama de "Responsabilidade Fiscal" que os governos que a seguem são responsáveis (ao contrário, eles podem fazer cortes irresponsáveis com o argumentode que têm de cumprir a lei), e não é porque essa lei (apenas uma das que versam sobre o orçamento) deixa de ser seguida que o governo que não segue é irresponsável. O curioso é que quando às obras como o Trem-Bala, se diz que o governo federal foi irresponsável de não ter feito a tempo, que se não havia dinheiro que se desse um jeito, flexibilizar o orçamento, etc. Ora, mas não é isso mesmo que está sendo feito?

NOTA2: quanto à manifestação dessa senhora e figuras como Aécio incitando as pessoas a irem ao Congresso, já apareceram outras reportagens então deixo para vocês procurarem (a senhora depois foi identificada como grande simpatizandte do PSDB, o Aécio deixou Lobão na mão, etc)

Nível politicagem: Quanto ao fosso, embora não tenha vindo do PSDB, partiu de um de seus apoiadores. E a nota mostra que havia simpatia dos políticos à construção do fosso. Bom, a politicagem aqui se refere à contradição de políticos chamarem o povo ao lugar que eles iam cercar com piranhas, mas também podemos notar pela reportagem na íntegra, que o presidente da câmara do governo FHC era o Michel Temer, isso mesmo, o atual vice-presidente do governo Dilma! Pois é, a politicagem das coalisões... então vamos à

Reflexão sobre o governo PT

Meu intuito era mostrar as politicagens do PSDB, mas a medida que ia escrevendo pensava como responder à pergunta "e as do PT? Não existe?", e vendo que dentro dos exemplos havia coisas que lembravam o PT. Isso seja na questão de coalisões (como Michel Temer antes do governo FHC, agora do de Dilma), seja porque o PT também deve ter se envolvido em politicagens. Temas como CPI envolve muitas politicagens, assim como obras não-concluídas, repressão a manifestantes...

Mensalão é como uma politicagem dentro da politicagem: no primeiro momento os políticos pareciam votar com consciência, depois foi revelado que votaram em troca do PT dando dinheiro, e então muitos dos que receberam esse dinheiro passaram condenar o PT.

Mas, como ia dizendo, meu intuito era focar em PSDB, não para listar todas as politicagens, mas para dar um panorama sucinto de como funciona.

Daí que tinha pensado em colocar um 4° exemplo que é o da crise da água, onde, como já mencionei, o governo de São Paulo (PSDB) decretou Emergência. Recentemente ficou acordado que o governo Federal vai socorrer o estadual com 2,6 bilhões (vide http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/12/dilma-e-alckmin-assinam-contratos-de-abastecimento-e-mobilidade-em-sp.html). E o curioso é que durante as campanhas eleitorais de outubro, o governo PSDB dizia que estava tudo bem na questão da água e que crise era invenção da oposição (reportagens indicavam que havia pressão do governo estadual sobre a Sabesp para que por exemplo o racionamento não fosse oficializado, embora existisse na prática), logo depois que saiu o resultado para presidente, apareceram umas ideias de separatismo, de dividir o Brasil entre Norte e Sul. Mas essas ideias logo parecem ter sumido logo após o governo estadual dizer que ia pedir ajuda ao governo federal.

O que eu ia colocar como 4° exemplo de politicagem era isso, e ia complementar que deputados de SP podem aprovar lei que agrava crise hídrica. Só que essa reportagem diz, com toda razão, que equivale à regulamentação paulista para implementação do Novo Código Florestal Brasileiro. Oras, isso quer dizer que é apenas a adaptação paulista para algo já aprovado no nível federal, sob o governo PT, com ativa participação de políticos não só da mesma bancada (aquela estranha mistura que abrange PP, PSD...), mas apoiadores históricos identificados com as mesmas causas, como o Aldo Rebelo!

Entendem? Michel Temer, Aldo Rebelo, e já está anunciado que para Ministra da Agricultura vai ter Kátia Abreu... Petistas podem até dizer que não é politicagem pura, que não são contradições vergonhosas, e que são costuras necessárias pela governabilidade e tal, mas será que tem de ser assim mesmo?

Conclusão

As politicagens do PSDB mostram contradições (parecem investigadores, mas tinham recebido propina; parecem querer obras para população, mas tinham sabotado; parecem querer manifestações, mas pensaram em fosso com piranhas), mas é possível ver um objetivo: ser contra o PT. São políticos querendo dar uma de bons politicos, mas não sendo, isso é politicagem. E por outro lado, e as contradições do PT? Podem dizer que não tá mais para realpolitik do que politicagem, que são concessões de abrir mão de partes do ideal pela governabilidade. Mas repito: o objetivo do PSDB é mostrar com se nada que vem do PT presta (nem que tenham de sabotar para tal), então a pergunta é: se de qualquer forma vai parecer pela propaganda tucana, que nada que vem do PT presta, será que vale a pena o PT ficar fazendo essas concessões pela governabilidade?

terça-feira, 25 de novembro de 2014

comentários políticos quanto ao cabo submarino Brasil-Portugal

Vão construir um cabo submarino de fibra óptica para conexões de internet entre Brasil e Portugal. É um assunto de conteúdo principalmente tecnológico, mas pipocaram comentários de cunho político, que achei que vale como registro histórico-político.

A Carta Capital publicou com o viés do barateamento:



Ao parabenizar a Dilma, uma pessoa ganhou como resposta de que Dilma seria contra a liberdade de expressão:



Já a Tecmundo destacou o viés anti-espionagem (pois o novo cabo evita que dados passem pelos EUA)



É muito o curioso o debate a seguir de gente defendendo a espionagem:





E saiu no G1 também:


Lá foi onde achei mais comentários, acho interessante o sentimento que o brasileiro tem de que Brasil estaria passando por ridículo, que não há como ser contra a dependência americana, que as obras do governo sempre vão envolver roubalheira... Eu diria que dá apra resumir tudo isso como Complexo de vira-lata.


Vejam por exemplo como o comentarista acima acha que sabe mais que o governo e diz que cabo é ultrapassado, melhor satélite. é um comentário que quem entende minimamente do assunto vê que não tem sentido nenhum, pois parece que esse comentarista confunde internet discada x wifi com questão de transmissão de proporções continentais!



No bloco de comentários acima, a sensação de inferioridade tecnológica e que supostamente seria burrice tentar ser menos dependente dos EUA; e o sentimento de que que qualquer obra terá roubalheira. E "Gato", apesar de refletir pensamento periférico (pois na favela é que fazem gatos de eletricidade, internet) não faz o menor sentido!


E é claro, tem muitos comentários nada a ver com nada, já descambando para qualquer coisa que faça parecer que Brasil é esculhanbado, que ninguém gosta de morar aqui, etc. Isso inclui piadas contra portugueses, é claro! Como se o simples fato do cabo ir até Portugal fosse ruim.

 Conclusão

É interesante esse complexo de vira-lata do brasileiro, o sentimento de que tudo que faz aqui é tecnologicamente inferior, de que seria bobagem diminuir a dependência dos EUA, de que toda obra seria uma roubalheira do governo, de que o governo, por ser "comunista"(?) faz obras que não servem para nada ou só serve para roubalheira (nesse sentido, os que não viram a notícia com o viés do barateamento, ficaram comentando que não traz nada de bom, nem o barateamento, e como apontado, as pessoas têm a arrogância de comentar como se soubessem mais do assunto que o governo), e interessante também que quanto à espionagem, tinha gente que defendia que espionagem era bom! Quer coisa mais anti-patriótica que isso?

Bom, um dos inteuitos desse blog é registrar uma época, um momento histórico-político. Pescamos esses comentários que reflete o que pensa parte dos brasileiros e explica parte do cenário político. Fica então o registro.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Ordem dos fatos: manifestação pelo impeachment

Aqui vamos resgatar a ordem correta dos fatos quanto às manifestações pedindo impeachment da Dilma. No final faço minhas considerações sobre os desafios da conjuntura. (inicialmente havia motivo de fazer piada, mas...)

Primeiramente aconteceu um ato que reuniu 30 pessoas:
Isso foi na 2°feira, dia 27/10/14,  no dia seguinte às eleições. O número reduzido virou piada.
No Pragmatismo Político a manchete era: "Manifestação por impeachment de Dilma reúne 30 pessoas em SP - Robôs não comparecem a impeachment de Dilma. Dos mais de 30 mil confirmados no evento criado no Facebook, apenas 30 apareceram". Robôs era uma referência à descoberta de que a campanha de Aécio (PSDB) estava usando robôs para inflar o número de apoiadores virtuais.

Muitas pessoas da esquerda, contagiadas pelo ânimo do resultado das eleições, estava achando isso engraçado, como um dos fatos pitorescos como o vídeo de uma representante da elite tendo chilique e dizendo que estava indo para Orlando ou a festa precipitada de Aécio (que veio à tona no dia 28).

Tinha gente que inclusive achava a cobertura da mídia injusta por focar naquele reduzido protesto:





Não consegui encontrar, mas foi criado até um Tumblr nos mesmos moldes de Mais cheio que Marcha da Família:

Mas 6 dias depois a coisa era preocupante


Para falar da marcha pelo impeachement do dia 1 de novembro de 2014 (6 dias após as eleições) temos de resgatar fatos que ficaram obscurecidos, como que inicialmente o ato no MASP não era contra a Dilma e sim contra Alckimin!

Vocês podem conferir no site SpressoSP "Revolta da água já tem data marcada para começar: Sábado (1), no Masp" publicado no dia 28/10.

Depois o local mudou:

(extraído de FolhaVerdeNews

Porque a mudança de data?O comunicado da Ação Antifascista Brasil explica: (Abaixo o texto completo, mas você pode pular e ir ao resumo)

Perto do sábado vemos o quão suja é a direita em nosso país, como denunciamos antes aqui na página, a galera do Juntos criou um ato para cobrar respostas do governador Alckmin a respeito da crise no abastecimento, esse tipo de mobilização é de extrema importância pois muitas cidades no estado e bairros da capital estão sofrendo com o racionamento enquanto percebemos que a classe média e alta não é afetada por uma política que deveria valer para todos. Porém com a derrota nas urnas para o PT, a direita paulista entrou em demência coletiva, e ao perceber que iria ter um protesto em repúdio as políticas do governador que a própria direita elegeu marcaram um ato de cunho separatista/golpista. Tentando silenciar um desejo das massas, figuras como Paulo Batista o charlatão da política liberal, Telhada o oportunista do polícia 24 horas, Danilo Gentili o garotinho piadista da classe reacionária, Bolsonaro (sim aquele mesmo que dispensa comentários) entre outros, promoveram um protesto bem no dia e local que o ato "Alckmin cadê a água?", como essas figuras tem dinheiro e investimento para publicar anúncios no facebook tentaram usar do seu marketing como forma de afirmar que tinham marcado seu ato antes e classificar o protesto pela questão da água como uma marcha petista. Ao perceber essa manobra da direita nós do coletivo Ação Antifascista mobilizamos todos os ativistas a ficarem de olhos abertos e apoiar um protesto que já tinha sido criado bem antes da megalomania do Paulo Batista contaminar a mente dos grupos reacionários. Percebendo o alcance da nossa publicação a direita começou a inventar calúnias a respeito de nossa página e coletivo, começaram a afirmar que iríamos para agredir quando mobilizamos nossos ativistas para DEFENDER! Sim defender as pessoas que poderiam ser hostilizadas no Masp, todos aqui sabem que esses grupos tem ativistas Nacionalistas, Integralistas, Carecas do Brasil, Xenofóbicos, White Powers e tantos outros militantes que sempre utilizaram da violência para intimidar todos aqueles que são contrários a suas ideias elitistas. Paulo Batista o charlatão, tenta utilizar do sofismo para se fazer de vítima, classifica sua marcha como algo anti-governo, algo revolucionário, porém fica evidente o elitismo e opressão que seus militantes pregam contra nordestinos, comunistas, homossexuais, anarquistas e outras minorias perseguidas dentro de nossa sociedade. Infelizmente a galera do Juntos recuou e mudou o local da manifestação mesmo tendo o direito de protagonismo no Masp por ter criado o ato primeiro. Temos nossas discordâncias nessa questão porém respeitamos, afinal quem está organizando são eles e não nós. A Ação Antifascista apenas apoiou pois viu a opressão direitista em cima dos manifestantes que tinham uma questão séria como luta. Nossa página foi denunciada a polícia, Paulo Batista utilizou de seus contatos políticos para tentar acabar com a Ação Antifascista Brasil, ele tem ao seu lado pessoas de dentro da própria polícia que compartilha de seus pensamentos burgueses. Quero deixar claro que isso não nos intimida, sempre estivemos nas ruas combatendo de forma prática os piores militantes da extrema direita, não será um liberal de terno e gravata que vai nos silenciar através de deturpações e calúnias. Fizeram do ato pelo impeachment uma manifestação de força e unidade da direita em nosso país. Todos aqueles que são contrários a essa movimentação de origem golpista correm o risco de agressão e intimidação. Pedimos toda união e apoio dos militantes da esquerda e Antifascistas para que esse episódio sirva como um alerta! Um alerta que eles estão dispostos a manipular e silenciar todos que não estiverem em seu modelo de sociedade progressista e meritocrata. Não temos medo, se for necessário a ação direta como forma de defesa dos nossos direitos humanos que não são dados, utilizaremos os meios de combate necessários para a defesa da população. Peço aos Antifascistas que evitem o Masp no Sábado, chegou em nosso poder uma informação de dentro da organização do ato dos reaças que grupos de extrema direita estarão mobilizados nas estações de metrô e nas redondezas da Paulista para coagir e forjar objetos ilícitos em militantes comunistas, anarquistas, punks, skinheads e Antifas. Que o recuo do coletivo Justos e a desunião da esquerda fique de lição! Se não estivermos unidos eles vão passar por cima de nós.

Em resumo: 

- esquerda marcou ato no MASP
- direita ia usar o ato no MASP para protesto contra Dilma, fascistas participariam para bater na esquerda
- Antifascistas se mobilizaram para defender a esquerda
- organizadores resolveram evitar confusão e transferir o local para Largo da Batata
- direita realiza o ato no MASP e ocupa a avenida Paulista

(ato no MASP 1/11 - 2.500 pessoas - segundo Estadão)

(ato no Largo do Batata 1/11 - 500 pessoas - segundo Folha)

Então a direita se usurpou do ato no MASP!

Pois é, e embora as pessoas estejam bem informadas, há algum risco de pessoas que estavam planejando ir ao ato chamado pela esquerda quanto à falta d'água terem acabado no ato da direita contra Dilma, e o que é pior, pela intervenção militar! (Cabe recordar que apesar de atualmente o pessoal estar muito conectado, não quer dizer que todos tenham celulares com internet)

Só que aí entra outro detalhe, nem todos que eram de direita e estavam no ato no MASP queriam a intervenção militar!

Tanto Folha quanto Estadão falaram que no meio da passeata houve uma ameaça de racha entre a parte que era apenas contra a Dilma e outra que queria intervenção militar. O racha não se concretizou pois chegaram ao acordo que "todos querem o bem do Brasil" (fala do Paulo Martins, vide link Folha).

O PSDB, segundo estão dizendo por aí, cometeu um erro de procedimentos de livros e filmes de magia: convocou uma entidade mais forte do que  pode controlar. Daí que estão soltando notas de que não apóiam intervenção militar e que respeitam o resultado democrático das urnas. (num caso curioso, o senador do PSDB diz que infiltrados pediram intervenção militar, infiltrados do próprio PT?!?!?!)

Anteontem (3/11) um tucano pediu que apoiadores de impeachment deixem o PSDB e foi chamado de "petralha"!


Acima a primeira metade da mensagem, o restante diz:

"Tudo bem. Acontece que, no período das eleições presidenciais, essa tendência se articula no seio do PSDB, trazendo para nosso partido suas causas. É normal existirem as alianças eleitorais, e para tal existe o segundo turno. O problema surge quando os militantes da direita exigem que nós, os sociais democratas, encampemos sua ideologia, o que seria um absurdo.
A intolerância mostrada em minha página do facebook reflete essa incompreensão. Criticam minha coerência, decepcionam-se com os meus valores imaginando que eu deveria assumir os deles. Pior, alguns tolamente me acusam de ser “petista infiltrado”. Dá até um pouco de dó.
Ora, nós, do PSDB, nascemos inspirados na socialdemocracia europeia, com viés da esquerda. Nossa origem reside no MDB autêntico, que foi decisivo na derrubada da ditadura militar. Nós fomos decisivos na Constituinte de 1988. Fomos nós, com FHC à frente, que criamos as bases socioeconômicas do Brasil atual, inclusive as políticas de transferência de renda e as cotas.
Na complexidade do mundo contemporâneo anda difícil rotular os partidos, e as pessoas, como de “direita” ou de “esquerda”, categorias válidas no século passado, mas ultrapassadas hoje em dia. De qualquer forma, quem concordar com as teses dessa turma aguerrida que vê o comunismo chegando, é contra os benefícios sociais, sonha com a ordem militar, por favor, deixem o PSDB. Vocês é que estão no lugar errado, não eu!"


Infelizmente é realidade que tem sim os que querem intervenção militar, Bolsonaro, citado acima inclusive estava com arma (!!) durante a manifestação, o que apesar dele dizer que não, é sim algo contra a lei.

Fiquei  o porquê da arma, e me lembrei do comunicado Antifascista: se ameaçava ocorrer agressões dos fascistas, talvez ele tivesse ido armado para isso, talvez ele estava informado pelos grupos fascistas citados no comunicado Antifa.

E ficamos sabendo que eles tinham até contatado a Casa Branca (e foram frustrados)!

O Viomundo, entre outros sites, noticiou que brasileiros tentaram pedir à Casa Branca que imtervissem para tirar Dilma do poder. Escreveram aos americanos dizendo que Brasil está trilhando caminhos bolivarianistas e comunistas, mas passaram vergonha pois receberam como resposta que o governo americano felicitou Dilma pela sua vitória, que “o Brasil é um importante parceiro para os Estados Unidos e estamos empenhados em continuar a trabalhar com a presidente Dilma Rousseff a fim de fortalecer as nossas relações bilaterais” e que os abaixo-assinados do site são destinados à cidadãos americanos, não brasileiros!

Conclusões:

Note que todas essas coisas aconteceram poucos dias depois das eleições, e se inicialmente era possível tirar sarro por terem reunido apenas 30 pessoas, é preocupante que tenham conseguido reunir 2.500 pessoas dias depois.

É de se observar que entre essas 2.500 pessoas talvez algumas confundiram-se pelo fato da direita ter se apropriado do ato que inicialmente era contra Alckimin e a falta d'água.

E também é importante notar o racha interno: nem todos querem intervenção militar. Talvez esse seja uma bandeira levantada pelos fascistas (aqueles que queriam bater na esquerda) ou simpatizantes (envolvidos em maior ou menor grau com os fascistas, podemos desconfiar do porte de arma do Bolsonaro, por exemplo, mas também é de se imaginar que muitos defendem essas ideias sem estarem articuladas com esses movimentos).

Como fica o PSDB? Será que vai conseguir retomar sua identidade social-democrata? Ou essa histeria anti-petista sairá de controle e vai mudar até seus ideiais iniciais?

Nas redes estou vendo pessoas excluindo os contatos que votaram no PSDB, nessa polarização, estão identificando tudo de ruim que aparece nos últimos tempos. De fato houve fatos inacreditavelmente lamentáveis como estupro por discordância política (!!). Estou vendo muitos compatilhamentos dizendo por exemplo que quem defende intervenção militar é a favor de estupros, tortura, e todos os crimes cometidos durante a ditadura. Vejo nisso problema, primeiro porque muitos são contra PT mas não a favor dos militares, e entre os que defendem militares, nem todos querem torturas, e dentre os que se dizema favor inclusive disso, muitos não têm noção do significado isso.

Diante disso, acho meio inapropriado coisas como compatilhar fotos reais de tortura e falar como a direita tivesse noção daquilo, e ainda misturar defensores dos militares com PSDB.

Por que não misturar tudo? Condenar todos eles de uma vez? A resposta é que eles não são mais apenas 30 como dias atrás. Tal como na imagem que escolhi do Tumblr Mais Cheio que Marcha da Família, se são poucos faz sentido condenar todos eles para que ninguém mais seja incentivado a seguir o exemplo. Só que quando são numerosos fica mais complicado fazer essa generalização, pode o tiro sair pela culatra e ao chamar todos de fascistas, incentivar até os que não são se tornarem.

É claro que o período eleitoral que acabou de acabar estimula radicalizações, estimula o tucano a acusar petista de comunista e este responder à provocação de que é mesmo, e o tucano repplicar que então vai se aliar aos militares pois qualquer coisa é melhor que Cuba, enfim, vi esse tipo de coisa, de discussões que vão ficando cada vez mais longe das linhas ideológicas originais de cada lado.

Certa vez uma pessoa me relatou que em 1989 era universitário e viu a polarização PT x Collor (sendo que Collor era visto como símbolo do capitalismo, apesar dele ter feito a maior intervenção contra a propriedade da história brasileira ao congelar as poupanças). Ele tinha achado uma pena a derrota de Lula, mas ponderou depois que o clima estava perigoso, e que uma vitória do Lula naquela conjuntura (entre elas Queda do Muro de Berlin) poderia levar à uma guerra civil. Dizem que essa última eleição foi a mais polarizada desde 1989, mas dessa vez PT venceu (apesar de que de lá para cá tenha ficado menos crítico ao capitalismo). O que será que nos aguarda?

Atualização:

Não sei se vai esfriar ou não após passar mais tempo após as eleições, mas a polarização entre esquerda e direita continua. E isso porque nem começou o novo mandato da Dilma!

No dia 13 de novembro houve manifestação da esquerda pela constituinte, pelos direitos sociais, pelas reformas, contra o golpismo da direita.

Vide CartaCapitalRedeBrasilAtual, UOL. Se falou em 10mil a 20 mil manifestantes.

Um hotel localizado num bairro da elite se cercou de viaturas e em resposta os manifestantes dançaram forró em frente ao hotel.
 Dois dias depois, no dia 15 de novembro, feriado que caiu num sábado (o que teoricamente chamaria mais gente para passeata), a direita fez uma marcha pelo impeachment da Dilma, com 2,5mil a 6 mil pessoas (informações da UOL) e colocaram pautas como "liberdade" que segundo eles não existe no Brasil (vide Folha).

Note que a cor é verde-amarelo, em contraste com o vermelho do protesto anterior:

 E apesar de ser dia de Proclamação da República, havia gente defendendo intervenção militar




O que causou uma divisão no movimento, e o lado mais visível disso foi a momentânea desistência do Lobão em participar. Não deixe de ler O dia em que o Lobão teve de negar um boato criado pelos próprios seguidores!


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Nostalgia (?) 3 casos de primórdios do ódio:, AeroLula, gesto obceno, plantas assassinas

Uma coisa nada saudável que salta aos olhos nas eleições é o ódio anti-PT, um ódio improdutivo, irracional. Não é bom para debate nem para democracia. Democracia deveria ser um processo até educativo, das pessoas mostrarem o que pensam e assim uma aprender com a outra.

Há toneladas de assuntos que poderiam ser discutidos sobre PT, mas hoje vamos ficar apenas nas notícias que talvez estejam nos prímórdios desse ódio, coisas antigas mesmo, para discutir se o o teor daquelas reportagens não estaria na origem desse sentimento.

Terei atingido meu objetivo se mesmo os que hoje odeiam o PT admitam que olhando para o passado as notícias antigas soem meio inocentes, pois denunciavam coisinhas pequenas comparando com Mensalão por exemplo.

O que quero que reparem é o seguinte: mesmo que relativamente inocentes o ódio contido nelas era o mesmo de hoje! Penso que isso significa que tentavam dar um clima de caos-com-PT que pode estar na origem do ódio atual: afinal os que odeiam dizem que faz muito tempo que Brasil esta nos desmandos do PT, etc. Será mesmo que antes e agora esses desmandos foram tão grandes? Vamos ver 3 casos:

1 - AeroLula

 Logo quando Lula assumiu a presidência, nasceu o primeiro escândalo: AeroLula, o avião presidencial. A impernsa noticiava como se AeroLula fosse um avião comprado com dinheiro público para virar patrimônio de Lula, quando na verdade era sim para uso do presidente, mas como um veículo oficial, não havia nada de ilegal na compra.

É claro que se pode contestar o luxo a que tem direito certos cargos, como a recente questão do auxílio moradia para magistrados (para o qual os juízes estão paralisando processos para mobilizar), ou o auxílio educação, mas confundir com roubalheira/corrupção é outra coisa.

O Aécio construiu um aeroporto inteiro, mas famoso ficou o AeroLula, que era mero aviãozinho.

Além do aeroporto de Aécio, pode-se lembrar também dos trens de São Paulo (escândalo do trensalão), que foram de fato desvio de verbas, corrupção e enriquecimento ilícito... você não olha o AeroLula de outra forma agora?

2- gesto obceno

Em 2007 um avião da TAM explodiu e matou 200 pessoas. Uma das suspeitas é que houve falha na vistoria por parte dos órgãos federais da aviação, ou seja, aquela tragédia poderia ser culpa do governo federal petista.

O assessor da presidência Marco Aurélio Garcia estava assistindo a TV noticiar que o foi descoberto problema mecânico no avião, o que isentaria o governo de responsabilidade. Nesse momento, ele fez o gesto do "top-top" (que não sei porquê, foi omitido pela mídia que foi um gesto inventado pelo cartunista de esquerda Henfil, do saudoso Pasquim) que só queria dizer que quem estava querendo acusar o governo "se ferrou" (para ser claro).

As imagens dele fazendo o gesto foram gravadas, mas note-se que foram gravadas de longe, quase como se fosse uma câmera escondida. Tá na cara que ele fez o gesto sem querer mostrar para o público, mas tais imagens foram divulgadas como um escândalo, como se o governo não tivesse respeito aos mortos. Encontrei até artigos tendenciosos que escreveram como se o governo tivesse feito o gesto na frente dos mortos!

3- plantas assassinas

Os que odeiam, dizem que PT atenta contra a vida. Mas atentam contra que vida? De que modo? Fazendo essa pergunta pedindo explicações pode ser interessante. Talvez partam para o anti-LGBTS: "atenta contra a vida pois quer união gay e aí os seres humanos não vão se reproduzir", outro talvez diga que atenta contra a vida "trazendo médicos cubanos" o que não explica nada com nada e é até paradoxal, talvez perguntando como assim digam que "o PT quer comunismo e comunismo atenta contra a vida". Bem, são algumas das respostas que podem sair (nada consistentes, mas enfim...).

Provável que não consigam precisar desde que época acham que PT atenta contra a vida, mas capaz de dizerem que faz tempo que ouvem e que antes de pensarem assim já ouviam isso de outros.

Então achei uma notícia velha, de antes do Lula presidente: em 2002, Marta prefeita de São Paulo pelo PT estava plantando palmeiras, e a Folha estava fazendo uma série de reportagens como se a decisão de plantar as palmeiras fosse equivocada. falavam como se as palmeiras não iriam sobreviver ao clima de São Paulo.

E a reportagem dizia que se as folhas caíssem em cima da cabeça de alguém poderia causar morte!

"(...) as palmeiras imperiais têm outro problema: o espádice da planta, que fica no topo, pode despencar. Em forma de espada, esse pedaço da palmeira chega a pesar 4 kg. A árvore ultrapassa os 20 metros de altura. 'Em Ribeirão Preto, um homem foi morto assim', diz."
(fonte http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff3006200202.htm )

Complementando quanto às palmeiras: Outra reportagem dizia que havia também superfaturamento na compra delas, dizia a reportagem "Marta compra planta até 5 vezes mais cara", mas esse fato foi desmentido, tal como conta o Observatório da Imprensa:

"Só que a ânsia em atacar a administração petista é tanta que o jornal é o responsável, até agora, por dois dos erros mais grotescos já publicados acerca do governo petista.
O campeão, sem dúvida, é o já famoso 'caso das palmeiras'. A reportagem 'Marta compra planta até cinco vezes mais cara', capa do caderno Cotidiano de 30/6/02, mereceu chamada destacada na primeira página, acima da dobra.
Uma boa forma de entender a gravidade da questão é conferir alguns trechos do texto 'Marta não pagou mais por palmeiras' (4/jul/2002), publicado no mesmo Cotidiano, quatro dias depois, também com chamada de capa. Diz o sobretítulo desse texto: 'Reportagem da Folha de domingo errou ao afirmar que prefeitura gastou acima de preços do mercado'. Íntegra do primeiro parágrafo da reportagem: 'A prefeita Marta Suplicy não pagou até cinco vezes mais do que os preços de mercado pelas palmeiras usadas nos projetos de paisagismo da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb). A Prefeitura pagou menos do que o previsto no edital de licitação, ao contrário do que afirmou reportagem publicada na edição do último domingo de Cotidiano'."
(fonte: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/iq260220032.htm )

OBS: o link acima é muito interessante para um outro caso inusitado: desde aquela época achavam que o PT fazia mal à Bolsa de Valores, e antes do Lula presidente, achavam que se o PT assumisse ia dar um calote comunista ao mercado financeiro, e que isso poderia começar com a prefeita Marta e a cidade de São Paulo. Dessa histeria aconteceu de realmente a Bolsa fechar em baixa, mas por culpa da imprensa!

"Chamada de capa da Folha em 6/11/02: 'Prefeitura de SP deixa de pagar R$ 3 bi à União'. O Jornal da Tarde foi na mesma linha, porém de forma menos explícita, e sem chamada de primeira página. Logo cedo, rádios e sites começaram a ler a reportagem da Folha e, a despeito dos sucessivos desmentidos da prefeita Marta Suplicy e do secretário de Finanças João Sayad, o dólar fechou em alta, a bolsa em baixa e o chamado risco-país subiu. No dia seguinte, toda a mídia corrigiu a informação, classificando-a de 'mal-entendido' e 'interpretação equivocada'. Tarde demais. 
O próprio secretário do Tesouro Nacional do então governo FHC, Eduardo Guardia, afirmou: 'Não existe calote, o município de São Paulo está absolutamente em dia com os seus compromissos, e tem pago suas parcelas rigorosamente no prazo. O que a Prefeitura fez foi apenas uma opção prevista no contrato. Não existe nenhum descumprimento de contrato nem flexibilização. Qualquer comparação com o passado [moratória de Minas, em 1999] é descabida'. "


Conclusão

O ódio contra o PT foi sendo cultivado ao longo de anos, e olhando as notícias antigas, temos a sensação de que no começo se fazia muito barulho por muito menos coisa. Só que como o tom de ódio é o mesmo, as pessoas têm impressão de que desde há muito tempo o PT faz isso, faz aquilo.

O intuito desse artigo era resgatar notícias bem antigas para os leitores reavaliarem e refletirem sobre isso, no último item que acabei me alongando um pouco, para comentar sobre a queda da bolsa que também é comentado no artigo do Observatório da Imprensa, e aliás o artigo completo deles é interessante de se ler para saber mais sobre a perseguição da mídia que a Marta sofreu.

Muitos outros casos poderiam ser comentados de escândalos envolvendo o PT, mas como o intuito aqui era resgatar a nostalgia (?) de tempos, digamos  mais inocentes por parte do PT (mas igualmente odiados pela mídia), ficamos por aqui.

Creio que essas primeiras denúncias (sérias?) funcionaram como uma preparação de terreno para que as pessoas estivessem pre-dispostas a condenar o PT, foram como propaaganda subliminar, em que as pessoas veem repetidas vezes algo. No caso, de tantas coisas que elas veem associando o PT a coisas ruins, quando surge qualquer coisa sobre o PT elas já vão achar ruim.  

Mais artigos do blog com tema parecido:
sobre PT e avidez pelo poder. E "comunismo" é modismo da mídia

Sobre o "Fim do Brasil" da empiricus.com.br



terça-feira, 29 de julho de 2014

Sobre o "Fim do Brasil" da empiricus.com.br


Uma empresa chamada Empiricus Research colocou um anúncio patrocinado no Facebook. Assim, essa análise bem pessimista sobre o futuro do Brasil tem se difundido. (Nota: um outro texto que também reclamava do governo Dilma é o Santander)

O texto (disponível em http://www.empiricus.com.br/o-fim-do-brasil-5/) diz que pode haver uma grande crise econômica que faria o Brasil voltar à "pré-história", se referindo à época antes do Plano Real. O texto teme que a economia desande pois estão sendo tomadas medidas que não teriam sido tomadas desde a existência do Plano Real.

Convenhamos que o Plano Real nem é tão velho assim e por isso o exagero de chamar o período anterior como pré-histórico, e por ser recente apenas os governos FHC, Lula e Dilma conviveram com a moeda chamada Real (R$). De forma que não acho razoável falar em qualquer tradição que defina o que dá certo com o Real ou não, ainda mais que em 2008 houve a crise mundial que mudou muita coisa no andamento da economia. Então se o Real passou por poucas mexidas por ter passado por poucos governos, então também não é razoável falar que mudanças recentes farão o Real desandar a ponto de voltar ao período antes do Real, para a tal "pré-história".

Não sei qual a idade de quem escreveu o texto, pois é exagero de chamar o período antes do Real de pré-histórico, dizendo que antes do Real não havia investimentos, não havia nada. Se pudéssemos perguntar para os governos anteriores ao Real eles confirmarão que é exagero falar dessa forma. Da mesma forma que por mais que tenham falhado em controlar a inflação, dirão que é sem sentido a afirmação de que "inflação é como uma gravidez, inevitavelmente cresce". Imagino que os governantes da época diriam que se fosse asssim teriam desistido antes mesmo de começarem os trabalhos de conter a inflação, e então que eles foram heróis só por terem lidado com aquela realidade.

Algo contraditório é que apesar de ignorar o período anterior aos 20 anos do Real, diz que a crise na Inglaterra nos anos 70 começou quando os trabalhistas vieram com uma agenda social-democrata querendo distribuir renda através de maior controle das empresas e que a inflação disparou quando tentou-se controlar os preços. Liberais são contra o controle de preços pois o controle iria contra os preços "naturais". De forma que se o governo determina que comida não pode ser cara para que todos possam comprá-la, há sentido em falar que isso prejudica a economia pois ou os produtores de comida vão engolindo o prejuízo e vão falir, ou vão diminuir os salários de seus empregados para não terem prejuízo, ou dar calote aos fornecedores de matéria-prima, utensílios, etc. De forma que o prejuízo dos produtores, a diminuição de salários, calote nos fornecedores, etc realmente prejudicam a economia, e isso foi causado pelo controle de preços, por causa de preços "artificiais", não-"naturais". É como tentar  beneficiar o povo dando de um lado, mas tirando do outro. Produtores de comida vão descontar nos empregados ou fornecedores, e estes vão diminuir o consumo ou dar mais calotes, e assim a comida barata de um lado se transformou em consequências negativas do outro. Mas daí, fazer como o texto e falar sem mais nem menos em inflação de 5.000.000.000.000.000% é exagero puro.

O texto é de interesse do próprio Empiricus, e isso fica muito claro no final em que o texto vai dando que passos os brasileiros devem tomar e para tidos eles é dito que Empiricus pode ajudar com uma consultoria.
Eis o ponto fraco desse texto: sendo o objetivo fazer propaganda deles, eles só mencionam os problemas que levam ao produto deles. É como um vendedor de lanternas dizendo que no apocalipse é bom ter uma lanterna, não te faz pensar que no apocalipse pode faltar pilhas.

 
Por exemplo, diz ele que os EUA vão aumentar juros e que isso terá impacto catastrófico. Recomendação deles? Investimentos fora do Brasil para o qual eles dão consultoria. Ora, mas se EUA aumentam juros, o mundo todo sente o impacto e lá fora o investimento é tão inseguro ou pior que investir no Brasil.
Eles dizem que quando a crise chegar, o dólar vai aumentar. Mas acham que o aumento do dolar estará ligado aos investidores saindo do Brasil pois lá fora é melhor. 


Uma exceção à essa história de que culpar o Brasil (como sempre) é quando eles dizem que dólar vai aumentar pois os EUA vão aumentar juros, o que por sua vez tem relação com 2008. Os EUA injetaram muito dinheiro no sistema financeiro para segurar a crise (tal como mostrado no filme "Too big to Fail")

Como houve essa injeção de dinheiro (perto de US$ 1 trilhão), agora seria hora do governo dos EUA tentarem recuperar o que injetaram. Aumentar juros para os EUA se dará com o mesmo argumento porque Brasil deixou seus juros altos: segurar a economia, fazer com que o investidor pense que manter o dinheiro aplicado dentro do país (nesse caso EUA) seja mais vantajoso que investir do lado de fora. Assim os EUA chupam dólares do mundo para si (atraindo sua moeda de volta para casa), aí de fato o dólar pode disparar no mundo todo, pois com dólares indo em direção aos EUA, e assim escasseando nos demais países e o que se torna raro sobe de preço pela lei da oferta e procura. 

Note que isso independe das supostas medidas-terríveis que o Brasil está adotando. Nesse sentido a análise do Empiricus é ultrapassada não só por creditar alta do dólar ao clássico "é tudo culpa do governo brasileiro", como também não prevêem cenários para a decadência do dólar. Provavelmente não escreveram essa possibilidade no texto pois a consultoria deles não traça cenários com dólar decadente. 

Mas vejam só: se os EUA vão aumentar juros para chupar dólares , por outro lado isso quer dizer que aumentará a tendência do dólar ir perdendo posto de moeda mundial. Moedas européia e chinesa parece que estão entrando na disputa e nesse sentido o acordo recente do BRIC formar seu próprio fundo na verdade torna Brasil mais seguro e não menos seguro frente ao que está para acontecer no cenário mundial.

Cabe lembrar que em termos geopolíticos EUA vem perdendo espaço: recentemente no caso do abate do avião na Ucrânia, saiu o texto "Aula de (anti-) jornalismo: assim o New York Times manipula", que diz:

"Ou seja: a manchete de capa — aquela que a esmagadora maioria do público realmente lê – não é apenas imprecisa. Ela diz o oposto do texto que deveria resumir. Não é a Rússia quem está isolada: são os Estados Unidos. Nem os europeus, seus aliados mais próximos, estão, no momento, dispostos a seguir Washington nas sanções contra Moscou."

E numa outra questão recente, os EUA foram o único país a votar contra as investigações do massacre de Israel na Palestina.

Assim, a hegemonia dos EUA está diminuindo, já passaram pela crise, já estão ficando isolados em questões internacionais, e pode ser que futuramente o dólar fique decadente, cenário com que a Empiricus não trabalha.

Pós-copa e possíbilidade de crise (se tiver bolha imobiliária)


Para os próximos meses, alguns dados da Empiricus podem até dar sinais de acerto, como queda do preço dos imóveis, mas isso eu credito à especulação imobiliária por causa da Copa e não vejo como isso estaria relacionado com o apocalipse que eles anunciam. Hotéis por exemplo meses antes da Copa para dias dos jogos tiveram de reduzir seus preços à metade de tanto que especularam com a Copa, e imóveis e outros segmentos também vão sofrer com o pós-Copa, mas para voltar à normalidade, e não para quebrar tudo. Nessa linha o crédito pode diminuir, mas também nada que chegue a afetar tanto a inflação e muito menos o nível de desemprego.

Quanto ao hotéis reduzindo à metade seus preços, isso lembra a bolha imobiliária, sobre a qual num post passado (Brasil (contraditoriamente) se abrindo ao mundo) escrevi:

"Quanto ao Brasil, há risco de bolha imobiliária, como aconteceu nos EUA? Parece que o debate vai no sentido de que não há, ou, que se havia, está murchando (juro que tentei juntar um sim e um não). Eu pessoalmente estou preocupado pois tem apartamentos mais caros que castelos europeus e não só Casas Bahia, mas diversos serviços estão abrindo linhas de crédito (para aposentados, para Minha Casa Minha vida, etc) e levando a economia a depender de pessoas endividadas."

Diz-se que a economia está melhorando pois a Dilma caiu nas pesquisas, eu acho que não tem a ver com Dilma e sim com o pós-Copa. Mas e se houver mesmo uma bolha? Aí ao invés da economia melhorar teremos uma crise. Que talvez se dê nas eleições ou depois e dirão que a crise veio por causa da reeleição de Dilma (se é que será reeleita, claro). Só que a culpa não será do modo como o mercado vê a Dilma e sim por causa do estouro da bolha imobiliária, culpar a Dilma seria tão errado quanto associar a crise dos subprimes americanos com Obama.

O curioso (e talvez irônico) é os protestos contra a Copa terão segurado para que os investimentos não exagerassem na expectativas quando aos eventos, e talvez até tenham evitado que surgisse a bolha e a crise.



segunda-feira, 2 de junho de 2014

O inacreditável desserviço dos Black Bloc ao darem entrevista para o Estadão

Atualização 1: Escrevi partindo do pressuposto de que a entrevista é verdadeira, mas estão surgindo dúvidas de que seja falso como outro caso envolvendo o PCC (escândalo Gugu-PCC), o jornalista Lourival Sant'Anna já foi condenado por falsificar reportagens e o site DCM (Diário do centro do Mundo) duvida da autencicidade da entrevista.

Atualização 2: "Ler só a manchete faz mal à democracia" também tem uma análise interessante.

Está repercutindo na internet a entrevista que os Black Bloc deram com exclusividade ao Estadão, trechos ou comentários existem no Terra, Uol, BrasilPost, Brasil 247, etc.

Vamos então fazer uma leitura cuidadosa dessa notícia do momento.

Engraçado que apesar deles serem "preocupados com a imagem perante a opinião pública", eles "decidiram, falar, pela primeira vez" justamente com o Estadão! É mais do que um tiro no pé, isso é prejudicar um conjunto de pessoas muito maior, é causar um dano coletivo!

A mistureba que promoveram (sendo o pior, misturar manifestações com PCC, lógico!)

É um caso inacreditável de burrice: como um grupo que evitou falar com a imprensa com medo da imagem solta uma declaração de que espera que o PCC dê as caras na Copa? Será que eles foram ingênuos de não imaginarem que isso seria título da manchete? E se foi proposital, pior ainda, eles estão associando a imagem do todos os manifestantes com o crime organizado! E soltam isso justamente para imprensa conservadora que tem delírios do tipo associar PT às FARC, ou ainda, o Movimento Moradia no Centro (MMC) com assassinato, aliás deste último caso, a polícia tentou incriminar o líder desse movimento ao invés de ir atrás do verdadeiro assassino, eu eu fui lá no Fórum Barra funda (SP) acompanhar o julgamento do Gegê, não foi mole não, e o caso era tão absurdo que o próprio promotor do caso (a acusação!) atestou a inocência do Gegê!

Enfim, dá um trabalhão separar as coisas e vem os Black Bloc dizer "...não somos contra o PCC, só que eles tem poder de fogo muito maior que o MPL (movimento Passe Livre)". Ora, PCC tem armas de fogo, mas o MPL tem o que? Armas um pouco menos poderosas, é isso que os leitores do Estadão devem entender? Pior que tem um trecho assim "'A gente estava bem armado', disse o veterano, sem detalhar o tipo de arma. Eles têm usado coquetéis molotov, pedras e escudos improvisados." Aí os leitores para a imaginação do leitor que tipo de armas o MPL tem (o mais trágico é que eles são pacíficos e não têm arma nenhuma...)
O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize .http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,black-blocs-prometem-caos-na-copa-com-ajuda-do-pcc,1503308

Se o tal "veterano" quer associar a imagem dos Black Bloc ao PCC é problema dele! ("Conheço muito a cara do PCC. somos os nerds do lado da casa deles. O crime organizado respeita a gente porque nasceu de mentes pensantes"), mas associar outros, como o MPL é irresponsabilidade! Prejudica o movimento!

E não é só o MPL que os leitores vão associar ao crime não! "O veterano, que cita o anarquista canadense Woodcook e Racionais MC", "A bailarina ... gosta do filósofo germano-americano Herbert Marcuse" pode apostar que daqui em diante vai ter gente associando isso ao crime.

Também tá no texto que "participaram da ocupação da Câmara Municipal do Rio", "estão associados a um grupo no Recife", "ativistas colombianos e venezuelanos vieram trocar experiências", "A bailarina  está interessada nos Zapatistas e prepara´se para ir visitá-los no México", tem um membro que "estuda direito em faculdade privada" (que talvez se chame o mesmo que "citou artigos da Constituição e do Código de Processo Penal", mas veremos isso adiante) o que acaba associando os Black Blocs aos AA (Advogados Ativistas) e outro membro "programador de 32 anos", um hacker que acaba fazendo com que se suspeite que também tenham ligação com grupos que usam hacker-ativismo (tal como Anonymous).

Note-se que apesar de criar muitas ligações com inúmeras organizações, eles são diferentes pois não têm Facebook nem nada, ao contrário de todas essas organizações acima. Aliás o pessoal do AA foi contatado para dar entrevista à Veja e eles responderam de uma maneira muito inteligente (leia aqui), eu achava que Black Blocs que nem Face têm fossem espertos também, mas vejo que são burros.

Afinal, quem são eles?

Pela reportagem, a maioria, "Quase todos concluíram, abandonaram, ou fazem faculdade", são citados cursos de humanas como Ciências Sociais, Ciência Política, Direito. Dá impressão que a reportagem quer incitar o ódio sobre os cursos de humanas, e aliás note-se que não é citado o curso que a "bailarina" faz, meu palpite é que como não é da área de humanas, o repórter preferiu omitir.

Esse mapeamento do perfil deles tem intenção clara de colocar eles dentro do "radar" da polícia. Já no primeiro parágrafo se diz que "continuam fora do radar da polícia", e mais adiante que "apenas um foi fichado".

Se bem que mais à frente, segundo o depoimento de um Black Bloc, "A maioria dos presos é punk", "A gente cola com os punks. São inteligentes, não são vândalos", "A polícia prende os punks, e por causa da cor da roupa, diz que são black blocs". Quer dizer, uns parecerão Black Blocs, mas não são. Muitos punks foram presos, mas só um Black Bloc foi fichado.

Além de se misturar com os punks, outra tática é descrita assim: "o veterano, protegendo-se apenas com sua mochila, investiu contra a tropa de choque. Pegos de surpresa, os policiais dispararam bombas de gás lacrimogêneo, que atingiram a multidão, enquanto ele saía de cena, ileso." Isso a meu ver é uma covardia tremenda, a pessoa provoca e não fica ali para aguentar as consequências! (a propósito, o porque desse repentino feito "heróico" - ironia- de enfrentar o choque só com uma mochila se eles têm coquetéis molotov, pedras, escudos improvisados, e dizem que o PCC tem mais poder de fogo que o MPL?)

Black Bloc exploram o caos e despreparo da polícia, e assim no futuro a polícia será menos caótica e mais preparada sim, mas porque o despreparo e caos serão legitimados.

Quando a polícia investe contra manifestantes (enquanto os Black blocs escapam), a polícia mostra o despreparo e caos, bate nas pessoas (o padre Julio já presenciou agressão a cinegrafista) e daí que uma das demandas fortalecidas após as manifestações de junho do ano passado é a desmilitarização da polícia (que felizmente virou até projeto de lei, embora não se saiba o que virá a seguir).

Se já está bastante evidente que a polícia brasileira é despreparada (veja a fala de especialistas sobre tiros num ônibus sequestrado), violenta. Mas o que os Black Bloc vão conseguir após essas declarações associando movimentos sociais ao PCC, citando o episódio em que o PCC conseguiu colocar a cidade de São Paulo em alerta? Ora, a violência passará a ser norma, com apoio da população (na internet estão aparecendo muitos comentários do tipo "tem que espancar nesses PCC-Black Block"), e olha que ironia: a polícia do futuro será mais preparada porque o despreparo será tolerado!


De que vivem? quem os financia?

São descritos como pobres que moram na periferia, como classe média baixa que mora no centro e apenas um, de classe alta com pais que moram na região nobre. Uma das integrantes, que ficou contente com a greve dos motoristas, "vive da renda de um aluguel". O "veterano", conhece o PCC por morar na ZL, é contado que joga molotov com gosto pois aos 14 anos, levou um tapa da polícia (quando se colocou na frente da mãe) e que na época vivia num barraco.

Como como é que ele, que vivia no barraco, e outros, pobres ou classe média baixa, agora vão para cidades do nordeste, participaram da ocupação no Rio, e tem uma colega que vai para México? Não só, isso, diz-se que alguns largaram o trabalho e vivem apenas do ativismo! Como assim?

Será o único membro da classe alta que financia todos? Como cosneguiram contato com colombianos e venezuelanos? E não sei se por maldade do repórter, mas ele chamou de "aparelhos" os apartamentos que usam. "Aparelhos"? São guerrilheiros que assaltam bancos para alugar os "aparelhos"?

Veja que temos os ingredientes para teorias da conspiração: pelo jeito tem muitos contatos, uma rede, uma estrutura financeira, diz que é vizinho do PCC... Como eu disse antes, se eles querem levar a imagem do movimento deles para o buraco tudo bem, mas envolver outras organizações... é praticamente um crime! E pensar que agora a suspeita cai até sobre a pacífica Ocupação Estelita de Recife, nem sem-terra, nem sem-teto eles são! São apenas gente que quer uma alternativa social e ambientalmente melhor para o cais. Que não quer ver coisas assim.

Daqui a pouco vão dizer que partidos estão financiando, e aliás, sem conseguir provar nada, o Brasil 247 já ligou PSOL ao Black Bloc, o próximo passo vai ser ligar PCC ao PSOL e dali a pouco Marcelo Freixo, de combatente das milícias, vai ser acusado de miliciano! Eita!

Foi uma forçada de barra tentar estabelecer conexão entre PSOL e Black Bloc (a história dos manifestantes pagos, denunciada pelo advogado que estranhamente estava "defendendo" de graça os manifestantes que teriam dito isso - "defendendo" entre aspas pois parecia mais interessado em colher depoimentos para usa ideia, mesmo que algumas dessas declarações de seus "clientes" até piorassem a situação deles). Na matéria do Brasil de Fato você vai entender o que houve e entender porque isso virou piada nas redes sociais (#LigaçãocomFreixo).
 OBS: não é meio estanho que sai uma matéria dessas com indiretas de recursos fantásticos que possibilitam pessoas ativistas largarem os empregos para viverem só de ativismo quando o PSOL vai precisar "passar o chapeú" para financiar a campanha para governador?

Iranildo também é um Black Bloc?

Nos tempos de internet, em que você pode ter uma página HTML para cada matéria, só posso concluir ser proposital que no fim da matéria do Estadão com a entrevista dos Black Bloc, apareça uma segunda matéria, "Enfrentar a polícia com a lei também faz parte da 'ação direta'", em que é entrevistado Iranildo, tem foto dele. é mencionado que é herói dos Black Bloc (supondo que ele é um advogado tal como o pessoal do AA, não vejo porque chamálo de herói dos Black Bloc e não heróis dos manifestantes em geral).

É mencionado que Iranildo estuda numa faculdade particular, mora na região central e tem a mãe empregada doméstica. Essa descrição bate com a descrição do estudante de Direito Black Bloc não identificado da matéria anterior! Supondo que são pessoas diferentes, temo que vão investigar o pobre Iranildo que não tem nada a ver! Pela matéria, a única divergência é que o anônimo estudante de Direito Black Bloc faz estágio numa imobiliária, enquanto Iranildo faz numa empresa de advocacia. Ah, e não sei porque é mencionado que o anônimo tem bolsa 100% pelo Prouni, talvez para atiçar a antipatia do leitor.

Mas Iranildo ser suspeito de ser Black Bloc é apenas a ponta do iceberg pois...

Reforçando a conclusão:

Graças ao desserviço dos Black Blocs, todos agora serão suspeitos de serem ou terem ligação com os Black Blocs e PCC. Manifestantes sofrerão mais (e supõe que os black Blocs vão incitar a violência policial e sair de fininho como descrito na reportagem) e vai ter mais gente apoiando que manifestantes apanhem, pois podem ter ligação com o crime organizado. Vale lembra o nível de descontrole da polícia logo após os ataques do PCC (55 pessoas da periferia mortos em 36 horas, inocentes jazendo do lado de suspeitos de ligação com PCC). Temo que até movimentos obviamente pacíficos como Ocupação Estelita de Recife sofram, já que até o provável também que procurem armas do MPL (como isso soa ridículo!). PSOL poderá ter dificuldades de conseguir verbas para campanha para governador, pois pessoas suspeitarão que o PSOL tem ligação com a crime organizado apesar de ter combatido a milícia do Rio (isso soa ridículo demais, pois Freixo inspirou o personagem Fraga de Tropa de Elite 2 , assim como a repórter Clara, do mesmo filme, deve ter sido baseada no relato desse sobrevivente). 

Com a proximidade da Copa estão ocorrendo várias mobilizações, manifestações. TEnho em São Paulo muitos amigos que são para essas manifestações, ou defendem os manifestantes, como Advogados Ativistas. Fico triste de pensar no que rola na mente dos leitores que viram essa entrevista do Estadão.

Sinceramente, se eu souber que um amigo meu foi mal-tratado, tenho vontade de dar um tapão nesses Black Blocs.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Abaixo o Bolsa-Família! Quero ganhar também! Quero Renda Básica!... E o comunismo que defendo

Para fechar (por hora) a série sobre essa conjuntura maluca em que existem os defensores da ditadura para afastar o PT, vou focar numa das principais acusações contra o PT: o Bolsa-Família.

Dizem que o Bolsa-Família é como a compra de votos, que cria vagabundos, etc.

Já se argumentou que o Bolsa-Família não foi criação do PT (confirmada pelo próprio site do PSDB), que não gera dependência (afirmação do diretor do Banco Mundial) e que tem gente que abre mão quando se alcança a meta da independência. Aliás do 1° link, que leva à proposta do Aécio de transformar a Bolsa-Família em política de Estado, eu não gostei muito da reação do governo que adiou a votação pois transparece que as disputas eleitorais estão em jogo.

Mas... eu não estou aqui para defender o Bolsa-Família! Na minha avaliação o Bolsa-Família está sendo prejudicado por causa de todos esses boatos que querem derrotar o PT (por mais que exista desde o PSDB). Dizem que a Pax Romana ruiu pois o clima ficou muito ruim, com intrigas de poder. Por mais que o Bolsa-Família seja diferente do "Pão e Circo" dos romanos (convenhamos que é minimamente mais seletivo e mais produtivo do que apenas entreter a massa de pobres), não vejo com bons olhos todos esses boatos de que se cria vagabundos, etc. Infelizmente os pobres são sofredores e os boatos afetam eles, e muitos acabam achando que "não é o lugar", e esse sentimento de inferioridade acaba produzindo baixa-estima em alguns e estes acabam abrindo mão de oportunidades (Enfim, é diferente da imagem que se propaga como se os pobres fossem abusados que aproveitam coisas como a política de cotas e cuspissem na cara de quem ficou fora).

Mas a solução que proponho não é a extinção de benefícios. Acho que a solução é estender esses benefício a todos, uma ideia que inclusive já está aprovado (por unanimidade!) no Senado. Trata-se de um sonho antigo do senador Suplicy, mas que não seria aplicado de imediato, e devia haver um período de transição, sendo um dos instrumentos de transição a eliminação primeiro da miséria. Suplicy tenta convencer a Dilma da importância desse projeto, que é bem fundamentada teoricamente (ver Wikipedia).


Está havendo tanta polêmica quanto ao Bolsa-Família que penso se não seria melhor já partir para a próxima etapa, a do Renda Básica. Ao invés de cortar um benefício, estender a todos.

Tenho um ponto de vista teórico um pouco diferente do link acima que leva à Wikipedia. Adam Smith (pai do capitalismo) dizia que existe o valor de uso e o valor de troca. Diamantes podem ser pequenos mas ter um enorme valor de troca, e o ar, indispensável aos seres vivos, não ter valor de troca, apesar de ter valor de uso gigantesco.

Penso que o capitalismo tem destruído muitos recursos naturais, e talvez no futuro até o ar seja mercadoria. Ou seja, altera até o exemplo de Adam Smith. E se ao invés de caminharmos para esse futuro sombrio (guerra por água já é mais ou menos prevista), que tal tentar o caminho inverso? Fazer de uma pequena quantidade de dinheiro algo básico e vital como o ar?

Quem já passou pela pobreza, ou por condição de imigrante, ou alguma outra condição precária, sabe que o abiente influencia muito as pessoas. No filme Pregnancy Project é mostrado que quando todos começam a cochichar que grávidas na adolescência tem poucas perspectivas de futuro, as próprias grávidas começam a acreditar que não tem muito futuro. Estou preocupado que essa campanha da mídia está promovendo leva os mais pobres (justamente os mais fragilizados) a acreditarem que por receberem Bolsa-Família, por disputarem cotas, etc eles são incapazes, ou até mesmo bandidos. Infelizmente palavras podem influenciar as pessoas. Tem também casos de meninas que foram estupradas e de tanto ouvirem comentários de que talvez elas fossem culpadas pelo estupro, acabaram mudando a vida delas para se adequarem ao que as pessoas pensavam delas, até pela desorientação e crise de identidade.

É curioso que isso lembra as profecias que se auto-realizam. Os capitalistas dizem que isso pode acontecer no sistema financeiro, e por isso não se deve espalhar más notícias à toa: se acionistas ou empregados acreditam no boato de que a empresa não tem muito futuro, a falta de motivação acaba tornando isso realidade.

O socialismo (ou melhor, transição) que defendo 

 

Às vezes, o melhor quando surge uma dificuldade não é retroceder, mas acelerar os passos para ir para frente.

Se há ameaças para o Bolsa-Família, talvez seja melhor ir para a próxima etapa, que é a Renda Básica. Claro, não implementar assim, simplesmente em resposta à campanha negativa da mídia, melhor estudar melhor a experiência do Alasca, por exemplo.

Vi que não sou só eu que penso assim, vide Alasca, pré-sal e Renda Mínima.

Dizem que "comunistas" querem maior intervenção estatal até virar um Estado stalinista. (Não sei por que acreditam que admiradores de Rosa Luxemburgo, Trotsky, Rosdolsky, etc admirariam Stalin se esses autores foram perseguidos pelo stalinismo). Mas é de se lembrar que Comunismo deveria ser entendido como uma etapa além do Socialismo, em que o Estado será extinto.

Acho que a esquerda mesmo esquece por vezes disso, de como o caminho é desafiador, é necessário ser criatividade.

E quanto ao racionamento de água... 

 

O Estado de São Paulo está passando por dificuldades na captação de água, dizem que racionamento é eminente. É um problema que não se pode ignorar (embora, haja gente desse governo que tente ignorar o problema da contaminação do solo da USP Leste dizendo ser intriga da oposição). Um tempo se dizia que quem reduzisse o consumo ganharia descontos, mas ao invés disso pode haver multa para quem consumir mais.

Aliás acho que se o governador fosse do PT e não do PSDB, comparariam esse racionamento ao racionamento soviético... de qualquer forma temos um problema que envolve o Estado, consumo coletivo e individual da água. Ainda bem que não compararam a URSS, pois isso só afastaria da solução, pois não é simplesmente dizendo que é coisa da oposição (como acima, quanto à USP) que o problema se resolve. Tampouco adianta dizer que isso de economizar água é um papo muito ambientalista e comunista.

Estado não deveria ser encarado como quem toma decisões que só enchem o saco da iniciativa privada.

Se houvesse incentivos para quem implementasse melhorias nas residências para reduzir o consumo, por exemplo com desconto nos produtos necessários para tal seria um meio mais eficiente do que pedir para reduzir o consumo temporariamente. Seria melhor do que os cidadãos culparem uns aos outros pelos consumo e ficarem esperando que seu ideal de vida não seja alterado (como se ser anti-comunista, fosse um passo para um dia alcançar aquele estilo de vida em que se é rico o suficiente para não ter de prestar contas a ninguém).

Refletindo agora, os melhores debatedores tanto do capitalismo quanto do socialismo/comunismo são aqueles que enxergam as peças como um todo ao invés de só defenderem o pedaço da propriedade privada, o pedaço dos direitos que o Estado garante, o pedaço do indivíduo, o pedaço do coletivo, etc.

O Comunismo encarado como etapa posterior do Socialismo significa que após a desigualdade diminuir, após empoderar as pessoas, elas vão viver com suas próprias pernas pois a meta é extinguir o Estado. E se é para no final favorecer o indivíduo de qualquer forma, pelo bem do coletivo, temos de ser criativos e enxergar além do individualismo (tanto do rico que se acha exclusivo, quanto do pobre que agora está melhor mas almeja o consumismo), além de defender o coletivo chamado Mercado ou o coletivo chamado Estado. Tanto o Mercado quanto o Estado podem acabar causando a massificação e coisificação de pessoas (o outro ser humano é uma coisa, um dócil serviçal ou  um ameaçador concorrente). Enxergar o Bolsa-Família como algo que todos poderiam ganhar ou enxergar o problema da água como soma do consumo de indivíduos são pequenos exemplos que deixo para dizer que a meta de qualquer forma é o ser humano.